Imprevisibilidade do GP Abimota não desconcentra Equipa EFAPEL

A Equipa EFAPEL volta à estrada já amanhã para a 37ª edição do Grande Prémio Abimota. Este tradicional e exigente evento veclocipédico liga, neste ano, Lisboa a Águeda em cinco etapas. A incerteza no resultado associada a esta prova não impede a Equipa EFAPEL de procurar um resultado no pódio. É com isso na mira que os oito ciclistas que vão representar a formação liderada por Américo Silva saem, amanhã, para o contra-relógio por equipas que abres as hostilidades.

Ao longo de cinco dias, o pelotão nacional, juntamente com três equipas espanholas, vai percorrer muitos quilómetros na zona centro de Portugal. O GP Abimota começa com um curto contra-relógio por equipas. São apenas 5,5 quilómetros que já podem fazer diferenças. A partir daí, os ciclistas rumam ao interior e passam por Coruche, Proença-a-Nova, Belmonte, Almeida, Mortágua, Anadia e Águeda.

“Esta é uma corrida que, normalmente, é muito imprevisível”, assume o director desportivo da Equipa EFAPEL, Américo Silva. Porém, o responsável não descarta a ambição que todos os elementos têm quando competem pela formação. “Teremos sempre os olhos no lugar mais alto do pódio”, garante.

A competição começa amanhã às 17 horas no Campo Grande, em Lisboa. O primeiro camisola amarela será conhecido às 19h30.