EFAPEL nas terras de Joaquim Agostinho

A Equipa EFAPEL apresenta-se, amanhã, em Turcifal para o arranque de uma das mais simbólicas competições do calendário competitivo português, ou não fosse o Grande Prémio Internacional de Torres Vedras uma homenagem ao maior nome da modalidade em Portugal, Joaquim Agostinho. Até domingo, os corredores da formação liderada por Américo Silva vão bater-se, num pelotão de extrema qualidade, pelos melhores lugares, seja em cada etapa, seja para a classificação geral individual.

Ao longo de quatro dias, os ciclistas vão percorrer as estradas da zona Oeste. A prova começa com um contra-relógio individual com oito quilómetros de extensão em Turcifal. Na sexta-feira, disputa-se a primeira etapa em linha. São 162 quilómetros entre Ventosa e Sobra de Monte Agraço. Sábado tem a tradicional etapa que termina no circuito de Torres Vedras e, para terminar, no domingo o pelotão pedala entre Cadaval e o Alto de Montejunto, num total de 172 quilómetros.

“Vai ser uma corrida muito aberta. Estão inscritas 21 equipas mas quase todas inscrevem cinco a seis ciclistas. Isso faz com que seja mais difícil de controlar as etapas. Nós vamos tentar estar na discussão. Sabemos que tudo deverá ficar definido apenas no último dia, com a chegada a Montejunto, mas é preciso estar em bom plano diariamente”, afirmou o director desportivo da Equipa EFAPEL, Américo Silva.

É perante este cenário, desenhado pela União Desportiva do Oeste, que os ciclistas da Equipa EFAPEL vão entrar em prova. Em mente têm o objectivo de obter protagonismo pela positiva e, além disso, preparar a Volta a Portugal que começa no início do mês de Agosto.