EFAPEL ambiciosa começa com terceiro lugar de Daniel Mestre

A terceira edição do Grande Prémio Internacional das Beiras e Serra da Estrela começou com uma etapa bastante selectiva em que a Equipa EFAPEL esteve em destaque, em particular com Daniel Mestre, que conseguiu terminar na terceira posição depois de um apertado sprint. O ciclista alentejano foi, inclusivamente, o melhor português num dia em que o russo Dimitrii Strakhov venceu e o colombiano Wilmar Paredes Zapata ficou em segundo.

Com partida em Mêda e chegada a Figueira de Castelo Rodrigo, o pelotão do Grande Prémio Internacional das Beiras e Serra da Estrela pedalou num percurso com 177,2 quilómetros marcado pelo constante sobe e desce que o tornou muito selectivo. Afectado por alguns problemas digestivos, Daniel Mestre não teve um dia fácil. Mas contou com a ajuda e o trabalho dos seus companheiros para estar na discussão da corrida.

O conjunto liderado por Américo Silva foi uma das forças mais importantes no controlo das fugas. Foi deste modo que a formação pôde chegar a Figueira de Castelo Rodrigo em condições de lutar pela vitória, como é apanágio desta estrutura em todas as competições que participa.

Para o director desportivo, Américo Silva, o dia foi exigente, mas os objectivos foram cumpridos. “Estamos na luta. Foi uma etapa bastante dura com um percurso selectivo. Mas chegámos com os três ciclistas que tínhamos definidos para a geral individual entre os primeiros. A equipa fez um grande trabalho ao longo de toda a etapa para que não chegassem corredores em fuga”, explicou.

Ainda assim, a Equipa EFAPEL tem a noção que podia ter sido melhor, não fossem os problemas de saúde que afectaram Daniel Mestre. “Correu relativamente bem uma vez que estivemos na discussão da etapa. A vitória era o objectivo, mas não foi possível porque os adversários foram mais forte. Eu não estava a 100 por cento porque fui toda a etapa com dor de estômago e mal me consegui alimentar”, explicou o ciclista que espera recuperar completamente para as duas etapas que faltam desta competição.

Amanhã realiza-se a segunda etapa deste grande prémio internacional. São 193,9 quilómetros entre Sabugal e Seia. Espera-se, uma vez mais, um percurso exigente e selectivo. Pelo meio, os ciclistas vão discutir duas metas volantes e três contagens de montanha de segunda categoria.