EFAPEL 2018 para continuar a vencer

A equipa profissional de ciclismo EFAPEL está pronta para voltar a competir na estrada. A temporada velocipédica em Portugal está prestes a começar e a estrutura volta a ser liderada por Américo Silva, que é o diretor desportivo pelo terceiro ano consecutivo. O responsável vai contar com nove ciclistas para dar continuidade ao espírito aguerrido e ambicioso pelo qual a formação se tem destacado no pelotão nacional.

Com o início da época competitiva marcado para amanhã, dia 4 de Fevereiro, a equipa EFAPEL vai ter o primeiro embate depois de um Inverno de trabalho e de um período de defeso que levou à constituição de um plantel em que continuam Bruno Silva, Daniel Mestre, Henrique Casimiro, Jesus del Pino, Rafael Silva e Sérgio Paulinho. A este sexteto juntam-se mais três ciclistas. David Arroyo vai voltar correr por uma formação portuguesa, depois de uma carreira maioritariamente em estruturas espanholas e muitos anos no World Tour. Marcos Jurado também vai vestir de amarelo fluorescente e preto, as cores tradicionais da EFAPEL. É o terceiro espanhol a defender as cores da equipa portuguesa. Pedro Paulinho chega à formação liderada por Américo Silva e vai, pela primeira vez, competir lado a lado com o seu irmão Sérgio.

A formação do grupo que representa a equipa EFAPEL em 2018 teve um princípio: ter condições para que a estrutura possa discutir os melhores lugares nas corridas em que participa. Se o segredo é a alma do negócio, a equipa EFAPEL assume desde o início que o grande objetivo do ano é, à semelhança de outras temporadas, apresentar-se na melhor forma individual e coletiva durante a Volta a Portugal em Bicicleta. A rainha do ciclismo no nosso país vai para a estrada no primeiro dia de Agosto. Até lá, há inúmeras competições nas quais a EFAPEL vai participar e, tal como acontece desde a sua génese, os corredores vão procurar sempre os melhores lugares na classificação.

O responsável desportivo da EFAPEL explica que 2018 vai ser um ano desafiante. “O nível competitivo em Portugal é elevado. A nossa prova mais importante é reconhecida como muito exigente, seja pelo perfil das etapas, seja pelo calor, seja pela qualidade das equipas que participam. Além disso, temos competições com muita qualidade ao longo do ano”, explica.

Nesse sentido, a formação trabalha para poder responder às exigências ao longo da temporada. “Temos um grupo forte. Trabalhámos durante a pré-época com o intuito de nos apresentarmos a um bom nível. Acreditamos nos ciclistas que estão connosco e vamos procurar os resultados em todas as provas”, esclareceu Américo Silva.