Daniel Mestre tapado para a vitória em Viseu

Em mais uma etapa muito selectiva, a EFAPEL voltou a ser protagonista e chegou a Viseu com Daniel Mestre a discutir a vitória ao sprint. O corredor da formação liderada por Américo Silva deu tudo mas acabou por ser tapado por um adversário e não pôde colocar toda a sua força na estrada. Com essa situação, acabou por ser o quarto classificado, logo seguido do líder da equipa, Jóni Brandão, que voltou a encurtar a desvantagem para o camisola amarela.

Num dia que se antevia de muito duro, com a estreia da subida ao Alto da Serra de S. Macário, os ciclistas da EFAPEL voltaram a contribuir para um grande espectáculo de ciclismo. A cerca de 60 quilómetros da meta, estava a maior dificuldade da etapa. Sempre inconformado, Jóni Brandão voltou a mostrar que na EFAPEL todos acreditam na possibilidade de vencer a Volta a Portugal. O número um da equipa respondeu ao ataque de Rui Sousa e fraccionou por completo o pelotão. A partir daí, o grupo reduziu-se a menos de 30 corredores.

Entretanto, Henrique Casimiro, que seguia com o chefe de fila, foi um dos primeiros no prémio de montanha e venceu a quarta categoria que se seguiu, na Serra da Arada. A partir daí, o pequeno grupo seguiu muito depressa rumo a Viseu. Na Avenida Europa, Daniel Mestre vinha lançado para obter novo triunfo. Mas foi tapado por um adversário e não conseguiu passar a concorrência mas acabou a etapa como melhor português.

“Fiquei fechado pelo (Gustavo) Veloso na aproximação à meta. Sei que ele não o fez por querer. Estava a fazer o trabalho dele e eu estava a fazer o meu. Foi uma pena porque senti que tinha capacidades para vencer novamente a etapa e fiquei impossibilitado de o fazer. Nem cheguei a sprintar porque não consegui passar os adversários”, afirmou Daniel Mestre.

Jóni Brandão chegou entre os primeiros. Está em terceiro na geral individual e quer recuperar para dar o máximo na segunda fase da Grandíssima. “Esta primeira parte da Volta a Portugal foi muito dura. a W52 mostrou-se muito forte mas a nossa equipa também está. Demos indicações disso. Ainda hoje, por pouco ganhávamos etapa se o Daniel Mestre não fosse fechado na chegada. Foi uma etapa bastante dura e disputada. Relativamente aos próximos dias, ainda falta muita Volta. A próxima etapa será difícil e muita coisa pode acontecer. Espero recuperar bem durante o dia de descanso para atacar e dar espectáculo”, afirmou.

Concluída a quinta etapa da 78ª Volta a Portugal em Bicicleta, o pelotão tem um dia de descanso. Merecido, diga-se. Foram seis dias de competição extremamente exigentes e os corredores da EFAPEL aproveitam para fazer um trabalho de recuperação activa.

Classificação na 5ª etapa da Volta a Portugal
1º Vicente De Mateos Louletano 3h5758s
2º Rinaldo Nocentini Sporting/Tavira mt
3º Francesco Gavazzi Androni Giocattoli mt

4º Daniel Mestre EFAPEL mt
5º Jóni Brandão EFAPEL mt
16º Henrique Casimiro EFAPEL mt
34º Rafael Silva EFAPEL a 11m18s
53º Álvaro Trueba EFAPEL a 14m08s
55º António Barbio EFAPEL mt
81º Filipe Cardoso EFAPEL a 24m07s
83º Nuno Almeida EFAPEL mt

Classificação individual após a 5ª etapa da Volta a Portugal
1º Rui Vinhas W52/FC Porto 21h40m56s
2º Gustavo Veloso W52/FC Porto a 2m45s
3º Jóni Brandão EFAPEL a 3m02s

9º Henrique Casimiro EFAPEL a 3m49s
21º Daniel Mestre EFAPEL a 16m16s
48º Filipe Cardoso EFAPEL a 42m32s
67º Rafael Silva EFAPEL a 57m58s
78º António Barbio EFAPEL a 1h15m04s
96º Álvaro Trueba EFAPEL a 1h34m46s
103º Nuno Almeida EFAPEL a 1h41m01s