EFAPEL corre Volta ao Alentejo com ambição de discutir todas as etapas

A partir de amanhã e até domingo, dia 24, a Equipa Profissional de Ciclismo EFAPEL está de regresso à competição para disputar a 37.ª Volta ao Alentejo, que vai percorrer ao longo de 802,1 km mais de 70% dos municípios alentejanos. A grande novidade deste ano é o regresso a Ponte de Sor, após 26 anos de ausência, sendo a cidade de Évora que volta a coroar o vencedor da “Alentejana”.

Para Américo Silva, diretor desportivo da EFAPEL, esta é “uma Volta ao Alentejo com um percurso e características idênticas à última edição e onde o vencedor irá ser ditado ao quarto dia de prova. Vamos trabalhar para estar todos os dias na discussão desta competição”.

Para concretizar este desígnio, o líder da estrutura de Ovar selecionou Niki Mihaylov, Pedro Paulinho, Rafael Silva, Sérgio Paulinho, Henrique Casimiro, Fabricio Ferrari e Marcos Jurado. Sete corredores que vão ter pela frente cinco dias de desafio entre imponentes planícies, numa prova manifestamente plana, à exceção da passagem pelo Norte, no Cabeço do Mouro (Portalegre).

É Montemor-o-Novo que inaugura amanhã, dia 20, a edição de 2019 da “Alentejana”, com a partida às 10.30 horas para a etapa mais longa da prova: 208,1 km. A chegada a Moura prevê-se que aconteça pelas 15.55 horas. Vai haver uma montanha de 4.ª categoria no concelho de Portel, mais três Metas Volantes.

A segunda etapa, quinta-feira, parte de Mértola às 11.20 horas, conduzindo o pelotão até à Costa Alentejana, sem se vislumbrarem montanhas. A meta está instalada em Odemira e deve ser cruzada pelo vencedor pouco antes das 16 horas. O terceiro dia de competição sai de Santiago do Cacém, às 11.25 horas, até Mora (15.48 horas), após serem percorridos 176,5 km com três Metas Volantes em Grândola, Vendas Novas e Arraiolos, e duas contagens de Montanha – em Alcácer do Sal e depois Montemor-o-Novo –, ambas de 4.ª categoria.

Sábado é dia de dupla jornada e também da “Alentejana” regressar a Ponte de Sor, de onde parte o pelotão às 10.30 horas para 74,3 km que terminam em Portalegre (12.23 horas). Um percurso curto marcado pela exigente subida do Cabeço do Mouro, a 5,4 km da meta. Às 16 horas começa a tirada vespertina, com 8,4 km de contrarrelógio individual em Castelo de Vide.

Domingo, 24 de março, é dia de emoções fortes com a chegada da derradeira etapa que une Portalegre a Évora, numa viagem de 152 km. É na Praça do Giraldo que vai ser aplaudido o vencedor da 37.ª edição desta competição internacional, de classe 2 UCI, que conta com a presença de 18 equipas de diferentes geografias.

 

Etapas:

20 de março – 1.ª Etapa: Montemor-o-Novo – Moura, 208,1 km

21 de março – 2.ª Etapa: Mértola – Odemira, 182,8 km

22 de março – 3.ª Etapa: Santiago do Cacém – Mora, 176,5 km

23 de março – 4.ª Etapa: Dois setores

  • Ponte de Sor - Portalegre, 74,3 km (Manhã)
  • Castelo de Vide - Castelo de Vide, 8,4 km – CRI (Tarde)

24 de março – 5.ª Etapa: Portalegre – Évora, 152 km